História como autoconhecimento: para uma compreensão da dimensão existencial e ética do passado histórico

Palavras-chave: História, Compreensão histórica, Historiografia

Resumo

Este ensaio explora a dimensão existencial e ética do passado histórico a partir de duas perspectivas diferentes. Na primeira parte, o ensaio aborda a questão, examinando a dimensão pessoal do passado histórico a partir da perspectiva do sujeito, elaborando a essa perspectiva por meio de ilustrações literárias de Austerlitz, de W. G. Sebald. Na segunda parte, o ensaio aborda a questão sob uma perspectiva conceitual, a fim de articular as maneiras pelas quais a ideia de um passado histórico se conecta ao conceito de história como autoconhecimento. O ensaio se articula com a filosofia da história de R. G. Collingwood, a fim de mostrar que existem aspectos éticos e existenciais que são significativos para o conceito de passado histórico. Por fim, o ensaio argumenta que, tanto da perspectiva individual quanto conceitual, existe uma importante dimensão pessoal que reside dentro e não apenas além do passado histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonas Ahlskog, Department of Philosophy Åbo Akademi University
Ahlskog holds a PhD in philosophy from Åbo Akademi University (ÅAU) and defended his thesis in October 2017. His philosophical research is focused on questions concerning the human sciences, history, testimony and cultural theory. In the history of ideas, Ahlskog is primarily doing research about conceptions of nation, class, language and identity in political and ideological movements during the 20th century in Finland. His research in the history of ideas is part of an interdisciplinary research project about class, language and national identity funded by the Kone Foundation.
Publicado
2019-12-22
Como Citar
AHLSKOG, J. História como autoconhecimento: para uma compreensão da dimensão existencial e ética do passado histórico. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 12, n. 31, p. 82-112, 22 dez. 2019.
Seção
Dossiê "O que faz da história algo pessoal?"