Fragmentos biográficos, significados nacionais

a biografia como forma de narrar a história nacional na Argentina e no Chile no século XIX

Autores

  • Augusto Martins Ramires Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v16i41.2030

Palavras-chave:

História da Historiografia, Biografia, Historiografia latino-americana

Resumo

Em face da considerável quantidade de biografias publicadas no espaço sul-americano durante o oitocentos, é
possível distinguir diferentes modos de elaboração biográfica. Destarte, o objetivo do artigo é descrever as variáveis
de elaboração da escrita biográfica no século XIX no espaço sul americano. Examinaremos composições biográficas
no intuito de propor categorias heurísticas para apreender o movimento biográfico durante o século XIX e ressaltar
suas especificações discursivas e suas estratégias de composição. De forma específica, será analisada a dupla versão da biografia de José de San Martin escrita por Domingo Faustino Sarmiento e publicada no Chile e na Argentina em meados do século XIX. Nossa hipótese é que as biografias funcionam como um modo de elaboração do discurso histórico que estrutura e temporaliza uma experiência nacional da história. Desta forma, sustentamos que a biografia, dentre os diversos modos de articulação do discurso histórico, pode ser considerada como um modo fundamental  para a elaboração da experiência da história, tendo em vista seu direcionamento específico aos valores identitários e excepcionalidades nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTAMIRANO, C; SARLO, B. Ensayos argentinos: de Sarmiento a la Vanguardia. Buenos Aires: Ariel, 1997.

ARAUJO, Valdei. A independência narrada: introdução à história da historiografia do Brasil. Rio de Janeiro: Proprietas, 2022.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Historiografia, nação e os regimes de autonomia na vida letrada no Império do Brasil. Varia História, Belo Horizonte, v. 31, n. 56, p. 365-400, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-87752015000200004. Acesso em: 8 de ago. 2022.

ARAUJO, Valdei. Sobre a permanência da expressão historia magistra vitae no século XIX brasileiro. In: NICOLAZZI, Fernando; MOLLO, Helena M; ARAUJO, Valdei. (org.). Aprender com a história?: o passado e o futuro de uma questão. (org.). Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. p. 131-148.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 7ª ed. São Paulo: Perspectivas, 2011.

AVELAR, A. de S. Entre a tradição e a inovação: o IHGB e a escrita biográfica nas primeiras décadas republicanas. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 13, n. 33, p. 397–429, 2020. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1585. Acesso em: 1 set. 2022.

BEVERNAGE, Berber; LORENZ, Chris. (org.). Breaking up Time: negotiating the borders between present, past and futher. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 2013.

BERGER, S; MELMAN, B; LORENZ, C. Popularizing National Past: 1800 to the present. New York: Routledge, 2012.

BERGER, S. Professional and Popular Historians: 1800-1900-2000. In: PALETSCHEK, Sylvia; KORTE, BARBARA. Popular

History Now and Then: International Perspectives. Bielefeld: Transcript-Verlag, 2012. p. 13-30.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Morais; AMADO, Janaina. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 1998. p. 183-191.

CEZAR, Temístocles. Livros de Plutarco: biografia e escrita da história no Brasil do século XIX. Métis: história & cultura, Caxias do Sul, v. 2, n. 3, p.73-94, jan.-jun. 2003. Disponível em: https://bityli.com/jOOZXVn. Acesso em: 22 jun. 2022.

CEZAR, Temístocles. Ser historiador no século XIX: o caso Varnhagen. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

DAFLON, C. L. Q. Argirópolis e as mudanças na concepção histórica de Domingo Faustino Sarmiento. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 4, n. 7, p. 56–77, 2011. Disponível em: https://bityli.com/jfRwJtt. Acesso em: 22 jun. 2022.

DALL’AGNOL, Rafael Terra. Biografia e Historia Magistra Vitae: aproximações e afastamentos no Brasil oitocentista. 2020. Tese (Doutorado em História), Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020.

DEDIEU, Jean Pierre; ENRÍQUEZ, Lucrecia; RODRÍGUEZ, Gabriel Cid. Fabricación heroica y construcción de la memoria histórica chilena (1844-1875). Caravelle, Toulouse, n. 104, p. 47-70, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.4000/caravelle.1562. Acesso em: 16 jun. 2022.

DESMADRYL, Narciso (dir.). Galería Nacional, o colección de biografías y retratos de hombres célebres de Chile, escrita por los principales literatos del país, dirigida y publicada por Narciso Desmadryl, autor de los grabados y retratos. Hermógenes de Irisarri, revisor de redacción, Santiago de Chile, Imprenta Chilena, 1854.

DIAS DUARTE, João de Azevedo. Tempo e crise na teoria da modernidade de Reinhart Koselleck. História da Historiografia, Ouro Preto. V. 8, 2012, p. 70-90. Disponível em: https://bityli.com/lAnYINz. Acesso em: 10 jun. 2022.

DOSSE, F. A idade Heroica. In: DOSSE, F. O Desafio Biográfico: escrever uma vida. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009. p. 55-122.

EUJANIAN, Alejandro. El pasado en el péndulo de la política: Rosas, la provincia y la nación en el debate político de Buenos Aires, 1852-1861. Bernal: Universidad Nacional de Quilmes Editorial, 2015.

FERES JÚNIOR, João; JASMIN, Marcelo Gantus (org.). História dos conceitos: encontros transatlânticos. Rio de Janeiro: Loyola, 2007.

FONTANA, Patricio. La biografía como máscara: Alberdi lector de Sarmiento y Mitre. In: JITRIK, Noé. (org.). Revelaciones imperfectas: estudios de literatura latinoamericana. Buenos Aires: NJ Editor, 2009. p. 191-198.

FONTANA, Patricio Miguel. Una osadía de Sarmiento: Autobiografía y novela en Recuerdos de província. ZAMA, Buenos Aires. Universidad de Buenos Aires, v. 12. dez. de 2020, p. 9-20. Disponível em: https://shorturl.at/lmqA4. Acesso em: 10 jun. 2022.

FONTANA, Patricio Miguel. Sarmiento y sus monstruos biográficos. In: MARTÍN, Ana Laura; DEL SASTRE, Elisabeth Caballero de; CIDRÉ, Elsa Rodríguez; PALACIOS, Jimena Paula; SUÁRES, Marcela Alejandra; DOMÍNGUEZ, Nora. (org.). Miradas y saberes de lo monstruoso. Buenos Aires: Editorial de la Facultad de Filosofía y Letras Universidad de Buenos Aires, 2011. p. 73-86.

FOUCAULT, M. As Palavras e as Coisas: uma arqueologia das Ciências Humanas. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GONÇALVES, M. de A. Narrativa biográfica e escrita da história: Octávio Tarquínio de Sousa e seu tempo. Revista de História, São Paulo, n. 150, p. 129-155, 2004. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/18981. Acesso em: 16 jun. 2022.

GONÇALVES, M. de A.; OLIVEIRA, M. da G. de. Apresentação. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 5, n. 9, p. 10–13, 2012. Disponível em: https://bityli.com/tGdWifw. Acesso em: 16 jun. 2022.

GUIMARÃES, Manoel Salgado. Nação e civilização nos trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma História Nacional. Rio de Janeiro, Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 5-27, 1988. Disponível em: https://bityli.com/VumwLln. Acesso em: 16 jun. 2022.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Cascatas de modernidade. In: GUMBRECHT, Hans Ulrich. Modernização dos Sentidos. São Paulo: Editora 34, 1998. p. 9-32.

HALPERIN DONGHI, Tulio. Mitre y la Formulación de una Historia Nacional para la Argentina. Anuario IEHS, Taldil, n. 11, 1996. p.57-69. Disponível em: https://shorturl.at/fgP14. Acesso em: 14 ago. 2023.

JAKSIC, Iván; SOL, Serrano Pérez. El gobierno y las libertades: la ruta del liberalismo chileno en el siglo XIX. Estudios Públicos, Santiago, n. 118, Otoño, 2010. Disponível em: https://bityli.com/Hfjxjan. Acesso em: 11 jun. 2022. p. 69-105.

LORIGA, Sabina. O pequeno x: da biografia à história. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

MITRE, Bartolomé; SARMIENTO, Domingo F; GUTIÉRREZ, Juan M; E et. al. Galeria de Celebridades Argentinas: biografias de los personages más notables del Rio de la Plata. Buenos Aires: Libreria de la Victoria, Imprenta Americana, 1857.

OLIVEIRA, Maria da Glória. Escrever vidas, narrar a história: a biografia como problema historiográfico no Brasil oitocentista. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

PALETSCHEK, S. Popular historiographies in the 19th and 20th centuries: cultural meanings, social practices. New York: Berghan Books, 2011.

PALTI, Elias. El momento romántico: nación, historia y lenguajes políticos en la Argentina del siglo XIX. Buenos Aires.: Eudeba, 2009.

PALTI, Elias. La Historia de Belgrano de Mitre y la problemática concepcíon de un pasado nacional. Boletim del Instituto de Historia Argentina Y Americana Dr. Emilio Ravignani, Buenos Aires, n. 21, p. 75-98, 2000. Disponível em: https://bityli.com/ZdywSAs. Acesso em: 11 jun. 2022.

PALTI, Elias. La nación como problema: los historiadores y la “cuestión nacional”. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2002.

SANTOS, Pedro A. Cristovão dos; PEREIRA, Mateus H. de F. Mutações do conceito moderno de história? Um estudo sobre a constituição da categoria “historiografia brasileira” a partir de quatro notas de rodapé (1878-1951). In: SILVA, Ana Rosa Cloclet da; NICOLAZZI, Fernando F.; PEREIRA, Mateus H. de F. (org.). Contribuições à história da historiografia luso-brasileira. São Paulo: HUCITEC, 2012. p. 15-76.

SILVA, João Manuel Pereira da. Plutarco Brasileiro. Rio de Janeiro: Em Casa dos Editores Eduardo e Henrique Laemmert, 1847. 2 v.

PEREIRA, Affonso Celso Thomaz. A comissão de exilados argentinos: a construção de um espaço exterior de política interna entre Argentina e Chile em meados do século XIX.. Antíteses, Londrina, v. 12, n. 24, dez. 2019. p. 543-572. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/37788. Acesso em: 23 jun. 2023.

PEREIRA, Mateus; ARAUJO, Valdei. Atualismo 1.0: como a ideia de atualização mudou o século XXI. 1. ed. Ouro Preto: Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia, 2018.

PHILLIPS, M. S. History, the Novel, and the Sentimental Reader. In: PHILLIPS, M. S. Society and sentimental. New Jersey: Princeton University Press, 1997. p.103-128.

PIMENTA, João. Paulo. A independência do Brasil como uma revolução: história e atualidade de um tema clássico. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 2, n. 3, p. 53-82, 2009. Disponível em: https://bityli.com/nGoWkWe. Acesso em: 11 jun. 2022.

RANGEL, M. de M; ARAUJO, V. L. de. Teoria e história da historiografia: do giro linguístico ao giro ético-político. História da Historiografia, Ouro Preto, n. 18, p. 318-332, 2015. Disponível em: https://bityli.com/eyHthOL. Acesso em: 1 set. 2022.

SALLES, Ricardo. Nabuco e a “Grande Era Brasileira”. Revista USP, São Paulo, n. 83, p. 65-85, set./nov. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i83p65-85. Acesso em: 23 set. 2023.

SANTOS, Evandro. A História geral do Brasil, de Francisco Adolfo de Varnhagen: apontamentos sobre o gênero biográfico na escrita da história Oitocentista. História da Historiografia, Ouro Preto, n. 9, p. 88-105, ago. 2012. Disponível em: https://bityli.com/pyCrevc. Acesso em: 11 jun. 2022.

WASSERMAN, F. “Las prendas jeniales de nuestra sociedad”: representaciones del pasado e identidad nacional en el discurso de las elites político-letradas chilenas (1840-1860). Berlim: Iberoamericana, v. 3, n. 9, p. 7-26, 2003. Disponível em: https://journals.iai.spk-berlin.de/index.php/iberoamericana/article/download/584/268/. Acesso em: 14 ago. 2023.

WASSERMAN, F. Entre Clío y la Polis: conocimiento histórico y representaciones del pasado en el Río de la Plata (1830-1860). Buenos Aires: Teseo, 2008.

Downloads

Publicado

2023-11-05

Como Citar

RAMIRES, A. M. Fragmentos biográficos, significados nacionais: a biografia como forma de narrar a história nacional na Argentina e no Chile no século XIX. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 16, n. 41, p. 1–28, 2023. DOI: 10.15848/hh.v16i41.2030. Disponível em: https://revistahh.emnuvens.com.br/revista/article/view/2030. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Temporalização do tempo e regimes historiográficos